jusbrasil.com.br
18 de Novembro de 2017
    Adicione tópicos

    A importância da cobrança judicial e da orientação na hora da realização de um negócio jurídico

    BASSI-ADVOGADOS
    Publicado por BASSI-ADVOGADOS
    há 5 anos

    Ao mesmo passo que houve o crescimento do consumo no Brasil, houve também, o crescimento do endividamento e, consequentemente, a inadimplência do consumidor.

    Como um efeito domino, quando um consumidor não quita os valores com uma pequena empresa, esta pequena empresa não quita seus débitos com o fornecedor, que, por sua vez, não quita o empréstimo realizado com o banco, enfim, torna-se um ciclo, onde todos os envolvidos acabam por ser atingidos.

    Muitos fornecedores, ao serem atingidos pela inadimplência dos consumidores, simplesmente protestam os títulos, ou colocam o nome do consumidor no cadastro de maus pagadores.

    Muitas vezes estas medidas surtem efeito, ou seja, o consumidor inadimplente quita suas dívidas, mas, e quando não há uma resposta positiva do cliente?

    Quando o protesto ou a inscrição no rol de maus pagadores não resolve, as empresas recorrem ao judiciário para reaver seus valores, com certo receio, pois acreditam que o judiciário é moroso e oneroso.

    Na realidade, o processo de cobrança, dependendo da prova da dívida que o cliente tiver em mãos, é muito mais rápido do que se imagina.

    De fato, o por judiciário esta saturado de demanda, e por isso, um pouco moroso, contudo, continua efetivo.

    O caráter do processo judicial é, além de compelitório, ainda intimida o devedor que, ao saber que pode ter seus bens penhorados, adota as medidas para quitação do débito.

    Infelizmente, muitos empresários, pelo desconhecimento, preferem não ingressar no judiciário, aguardando longos prazos, dando chances aos consumidores, e, muitas vezes este lapso temporal acaba por ocasionar a prescrição da dívida, ou seja, em termos leigos, a dívida esta prescrita, não podendo ser mais cobrada do consumidor.

    Sendo assim, os empresários devem sempre procurar um advogado de sua confiança, traçando com este as estratégias de cobrança, vez que, um simples planejamento, torna eficaz o resgate de títulos vencidos.

    Outro aspecto que o empresário deve-se atentar é quanto a forma como se realiza a compra e venda de mercadorias e serviços, a fim de melhor ampará-lo em uma eventual demanda judicial.

    Como já esclarecido, a demanda judicial, seu tempo, e seu custo, depende muito da forma como o negócio foi realizado, devendo o empresário conversar com seu advogado para estudar a melhor forma de comprovar o negócio realizado, seja com emissão de nota fiscal, duplicata, cheque, recibo etc...

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)